*** Sanctus...Sanctus...Sanctus ***

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

analfabetos do Amor...


Infelizmente o mundo e muitos cristãos até estão semeando a dor nos seus extremismos porque agarram a palavra e fazem-na prisioneira dos seus vazios do coração.

Pai ,as palavras que encontramos no caminho da tua Palavra  rega-as com o teu Santo Espírito para que não existam mais analfabetos do AMOR.

Quanto ao Jesus salvador, filho do Pai, não estaria aqui abraçando se não fora a sua graça e salvação, pudesses viver a dor do Filho como tantos vivem e saberias que mais do que sacrificios o Pai deseja MISERICÓRDIA.

Sim, semeamos mais a morte que a redenção ao usar apenas as palavras de condenação em vez das de misericórdia, sim ,seremos sepulcros caiados se o fizermos.

A Cruz deixa de ter sentido se ela não cobrir os pecados do Homem, seria inutilidade do Pai e pecado, basta-nos a nossa miséria humana para escrevermos tanta vez essa palavra em vez de a erradicarmos do nosso coração.


Creio no Pai que aproxima as suas mãos do rosto dos rebeldes na fé e acaricia para que sintam a brisa da misericórdia mais do que a ira, que atira o outro nosso irmão para os abismos da solidão do Amor.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

No entardecer da vida...


Venho exercitar o Amor apesar da alma ter pouco para dar nesta noite obscura a misericordia só ela nos dará forças.


Humildade isso é que é valioso eu apenas posso servir de caminho para a vossa alma passear até ao Pai.

Sabes, por vezes sinto-me perdido perante tanta dor, mas sei que o PAI está recolhendo essa mesma dor em seu coração , penso que é o que tu e eu poderemos fazer nestes momentos.

Voa, voa e não pares até chegares ao PAI Ele espera o teu eterno abraço até breve se o espirito deixar.

És uma filha do PAI não esqueças isso nunca , confia e ama, sê forte.

São três caminhos. Um leva-te até ao Amado do AMOR, o segundo leva-te ao amado da CRUZ e o último leva-te até à Mãe, que espera com seu regaço aberto para te acolher e embalar a tua alma.

Ao entardecer da vida que possam os teus pés cansados, carregar ainda os sedentos do Amor.

O silêncio é a maternidade do pensamento da alma, onde o amor gera a alegria do Pai, oro por ti.

Eu te abençoo em nome do PAI do Filho e do ESPIRITO SANTO.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

A sombra da noite

Filho do Pai, importa mais o teu coração de misericordia e perdão, amar faz-nos mais cristãos se for aqueles que nada nos aproxima, mesmo os que caminham diferentes caminhos.

A noite caí lentamente assim com a graça do Pai, abram as vossas almas  à sua frescura e ao abraço do Pai.

A sombra da noite envolve lentamente os nossos corpos e as nossas almas, aquietemos o coração, o Pai está presente tocando o rosto de cada um com suas caricias de misericórdia.

A quietude da noite abraça silenciosamente as presenças de todos, sossegai e sabei que o Pai está perto velando por cada um de vós.

O Pai, só o Pai eternamente o Pai ,a Ele ,glória e louvor, todos podemos ser um pouco a sua presença, basta sorrir ainda hoje para o outro nosso irmão.

Pai, entrego a todos nas tuas mãos cuida Tu sabes os seus corações....

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Só o AMOR...


Só o Amor abre as portas das ilhas da dor e do silencio das asas dos que voam nos átrios do Pai, Pomba da Paz.

Crer, amar, ser ombro para apoiar rostos feridos.

Ao caminhar Pai, através do vale da dor e da alegria, estende os teus braços e abre as tuas mãos para que as tuas brisas de ESPERANÇA molhem todo o nosso ser.

E refresquem a nossa alma seca pelos ventos dos desertos dos amigos que partiram.

A partida, o começo da chegada dos caminhantes da noite da fé.
Partiste, irmão? Apenas fica o deserto da noite dos silenciosos, vai e acolhe a irmã noite.

Tempo de abrir as portas á noite longa dos dialogantes do amor, convido-te e a todos a entrar.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

as pontes





Jamais os que vivem nos ruidos do mundo encontrarão a semente que germina tambem
 no silencio, mas isso é uma morte anunciada para que outros nasçam,
 precisamos os monges morrer, sabes que já estamos mortos há muito
 tempo para o mundo?.


 Apenas somos pontes que ligam a humanidade ao Pai, 
pontes frageis e podres, mas ainda assim as 
únicas pontes que estabelecem o dia a dia do viver da igreja ai fora, somos um corpo,
 mas alguns membros apenas servimos para suportar o peso, olha somos isso, 
os que suportam o peso.


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Sobre a Oração de São Francisco


Senhor, fazei de mim um arado, para que nos corações dos homens, possa essa terra rude no amor, acolher as sementes das nossas orações, e desedentada com o orvalho das nossas lágrimas, que nascem nas fontes da nossa alma. 

Onde houver ódio, que eu leve o amor, amor que não pactua nem abandona os frágeis ao seu destino, mas através das armas do amor silencia as armas dos poderosos da terra.


Onde houver ofensa que eu leve o perdão, perdão que não espera o amanhã, para esquecer as feridas e os gestos do desamor do passado.Onde houver discórdia, que eu leve a união que deixa espaço à diferença e à escolha de outros caminhos, mesmo até aqueles que nos levam ao próprio Pai.

Onde houver dúvida, que eu leve a fé, partilhando a caminhada sem atirar o outro para fora dos caminhos da fé que nos aproximará mais um pouco da verdade.

Onde houver erro, que eu leve a verdade, não a minha verdade, mas a verdade que nasceu do compromisso do diálogo e da descoberta porque ambos fizemos caminho, ao invés de mostrar ao outro o meu caminho.

Onde houver desespero, que eu leve a esperança, que o pão chegará para todos à tua mesa Pai, e espaço para que todos se sentem ao Teu redor, sem intermediários da fé ou do perdão, porque Tu, ó Pai a todos convidas.

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria. A alegria que deixa nascer na dor a verdade do compromisso do amor sem subterfúgios da palavra ou das areias teológicas dos homens, deixando lugar na cruz à redenção de todos sem distinção de raças, credos ou nações.

Onde houver trevas, que eu leve a luz! A tua palavra, não a palavra dos homens, para que todos possam chamar-te Abba .. Paizinho.
                                                  Ó Mestre, fazei que eu procure mais.
Consolar que ser consolado.
Compreender que ser compreendido.

Amar que ser amado.
Pois é dando que se recebe.
Perdoando que se é perdoado
e é morrendo que se vive para a vida eterna!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

O Pai bate à porta


Abre os olhos do meu coração Pai, desejo ver-TE e acolher-TE

O Pai apenas bate á porta dele, jamais força a abertura, as tuas mãos tem que encontrar a força e a coragem para abrir ao desconhecido eterno

Se conseguir tocar na tua alma com as mãos do pai que acariciam a todos, já silenciei suficiente no coração o teu amor por ELE

Crer, amar, ser ombro para apoiar rostos feridos, isso, faz-nos apoio,Pai para todos os que nos ofertas aqui.

Em cada um que chega, oferta através dele o teu sorriso e amor infinito, em cada filho, sim, Pai.

Ao caminhar Pai, através do vale da dor e da alegria, estende os teus braços e abre as tuas mãos para que as tuas brisas de ESPERANÇA molhem todo o nosso ser.


terça-feira, 9 de agosto de 2011

selva de asfalto

Pai, obrigado pelo cunho pessoal que deixas nas tuas pegadas da alma de cada um, embora vivamos hoje na selva de asfalto humano em que se tornou a sociedade tem misericordia, Pai.



A Santidade não é um estado é um caminhar continuo até as arcas do oceano do pai, chegaremos um dia mas quando o Pai encontrar nos nossos silêncios as palavras que apenas nos aproximam e não nos atiram para longe da sua Presença.

Ainda que falasse todas as linguas do mundo e não tivesse AMOR seria........ aquilo que sou barro á espera dum Pai de misericórdia e não um Pai que pune desalmadamente os filhos que deseja levar ao ENCONTRO.
(Fátima-átrio da capela na Ig.SS Trindade)

Quanto ao Jesus salvador, filho do Pai, não estaria aqui abraçando se não fora a sua graça e salvação, pudesses viver a dor do Filho como tantos vivem e saberias que mais do que sacrificios o pai deseja MISERICORDIA.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

caminho dos diálogos

Assim como a folha se antecipa ao Outono na queda das árvores, assim são as palavras à beira do caminho dos diálogos.


Dá-me a tua mão e juntos caminharemos á presença do Pai, podes, assim somos dois a orar e a importunar o pai até que nos atenda e abra a porta.

 
Em nome do Pai Santíssimo eu te ordeno que mantenhas o elo do amor, ainda que as trevas sufoquem a tua alma hoje, estarei suplicando por a visita da graça à tua morada da alma.

Sabes que esses pensamentos podem ser um sussurro do pai que deseja mexer com a tua alma e libertar de algo que te magoa?.

Sê forte o Pai está ao teu lado e agarra a tua mão, coragem sim.

Ainda que a tristeza embacie os nossos olhos, ainda assim o rosto do pai pode reflectir-se nos nossos olhos, basta acolher e abrir a alma ao AMOR eterno, e sabes fazê-lo, força coragem.

 
Hoje ao caminhar na estrada apercebi-me da queda precipitada das folhas das árvores que se antecipam ao Outono, assim é a nossa palavra, quando não está fundada na caridade e no respeito para deixar os espaço ao Diálogo do nosso Irmão.

 
Alguém perguntou o que era a vocação para mim assim posso dizer que a primeira vocação, aquela mais importante que o Pai chama a viver é a sermos felizes, só depois nos chama a cada caminho pessoal, seja qual for, o mais importante é sermos felizes.

 
Podes ter sempre a certeza da resposta do Pai, ainda que o seu tempo não seja o nosso tempo, sempre responde, só precisas estar atento e de coração aberto, o Pai não falha.

 
Orar, sempre e eternamente orar.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Tudo é graça...

Filha na Omnipotência não há lugar para espaço! Tudo é graça, e a liberdade é apenas um sussurro na imensa misericórdia do Pai, jamais partirá daí o Encontro entre o Homem e o Pai, ele se dará apenas no passo do homem até ao pai que espera eternamente o filho que ama, mas silencia esse amor, como, não perguntes a este barro, também faço parte dessa multidão dos caminhantes

sexta-feira, 22 de julho de 2011

a infinita ternura do Pai

Possa o abraço da dor, não impedir o grito de alegria que aprisionado na alma, espera a mão do que o libertará.

 
Possa o alvorecer da aurora da esperança, entrar pelas janelas da vossa alma por onde o olhar do Pai espreita aguardando o convite da vossa paz.

Orar sempre pedindo é atacar a infinita ternura do Pai, parecemos autómatos, máquinas orantes, basta, o Pai ama, e isso é imutável, ainda que O tentemos imaginar e organizar á nossa medida humana, basta, o Pai já perdoou e ama, isso é eterno como é eterna a Sua promessa.

Quantos estão á procura do Pai? Quantos e Ele está tão perto, em ti naqueles que esperam e esperam que seja o Pai que abra as portas á Esperança, e as chaves estão já depositadas na nossa alma, abri abri as portas.

A gratuidade do Amor, sim a GRATUIDADE é gesto de mutuo amor entre o homem e o Pai, ambos encontram-se , basta ir ao Encontro, sem impôr condições, o Pai é presença antes e depois, é eternamente presença
 
Mães do mundo abraçai a todos os filhos que chegarem ao vosso regaço. 


Sanctus Sanctus Sanctus
 
 

domingo, 19 de junho de 2011

...a paz e a perseverança

Filho do Pai, a santidade mais do que um estado é uma caminhada, ora para que o meu caminho seja breve mas pleno de graça e misericórdia.

  Morrer para si não significa extinguir-se, mas ser vaso do fogo do amor isso ser vaso para aquecer corações.

Mas começar esse caminho de santidade, requer a paz e a perseverança, podes?.

 
Filho, isso é sinal que o teu coração está sendo acolhido nas mãos do Oleiro, as lágrimas só podem ser ainda restos da impureza no barro que somos.

O Pai quando escolhe não pergunta, encosta o seu rosto à tua alma e escuta a tua caricia no seu rosto, e tu sabes acariciar o seu rosto magoado por tanto desgosto que lhe damos, és um eleito, glória ao Pai, coragem. 

Vai e agarra bem forte a mão do Pai que caminha ao teu lado e não esqueças o amor ,ama forte os que encontrares.

 
Pai, saio mas sei que cuidas e acolhes cada um aqui e os que chegarão, a Ti entrego as suas vidas, só Tu sabes amar assim.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

A sombra da noite


Se conheceramos o tempo do Pai, encontrariamos fácilmente os átrios do Pai nas nossas pequenas coisas e passos da vida.

Filho a alegria e mesmo a tristeza nao são para esconder elas fazem parte das dádivas do Pai e quem pode esconder o rosto DELE.
 



Filhinha, sempre nem que seja uns minutos basta escutar e ver o rosto do Prisioneiro, isso te dará alento e força para a caminhada diária.


Filho do pai, importa mais o teu coração de misericórdia e perdão, amar faz-nos mais cristãos se forem aqueles que nada nos aproxima, mesmo os que caminham diferentes caminhos.
 


A noite caí lentamente assim com a graça do Pai, abram as vossas almas á sua frescura e ao abraço do Pai.


A sombra da noite envolve lentamente os nossos corpos e as nossas almas, aquietemos o coração o Pai está presente tocando o rosto de cada um com suas caricias de misericórdia.


O Pai, só o Pai eternamente o Pai a Ele glória e louvor, todos podemos ser um pouco a sua presença, basta sorrir ainda hoje para o outro nosso irmão.Podem?

Sanctus, sanctus, sanctus.......

quarta-feira, 15 de junho de 2011

O amor do Pai é eterno


Que a noite seja acolhedora para os que caminham na obscuridade.
O abandono dos bens terrenos para abraçar os bens eternos, nem sempre é sinónimo de desprendimento, podendo em muitos casos, ser apenas um meio subtil do próprio ego, satisfazer o desejo nele latente, mesmo que suprimindo nas renúncias do corpo, as exteriorizações dos desejos.








Muitos são os desertos que acolhem e dão morada ao caminhante da fé, mas apenas um nos levará ao ENCONTRO: (o deserto interior).


Toda a alma existe para ser um altar, altar onde alguns já uniram o seu sangue com o sangue precioso de Jesus, não em busca do “Sacrifício”, mas em busca de saciar aí a sede e fome do Absoluto, continuamente celebrado na Eterna Eucaristia.

Na caminhada da fé, todos ficaremos um dia suspensos sobre os precipícios dos desertos da alma, tentando encontrar nas teologias, o equilíbrio que não nos deixará cair nos abismos da noite obscura da alma.
 

Não te inquietes, deixa que o Pai sinta a tua alma chamar pelo teu nome.


Ofertar a dor, é insulto AQUELE que se agita no leito do sofrimento humano, cavado no espaço ocupado na cruz, pelo Filho que encarna o ABRAÇO eterno do Pai a todo aquele que sofre.


Acolher a dor não significa desistir da luta que a vida trava continuamente em nós, mas é no próprio acolhimento, que encontraremos a possibilidade de confrontar a dor com o “NÃO”, esse grito da alma á própria face da dor, que sentirá o bater da porta incessantemente no seu rosto, até que parta definitivamente.

Evocar a dor que a alma já acolheu e expressa na linguagem dos gestos e das palavras, pode significar” paz-acolhimento” ou “ira-rejeição”, mas é sobretudo através da linguagem do silêncio, que a dor se fará caminho, acolhendo nele todos os que chegam feridos pela obscuridade dos sentidos.

Podes começar a confiar, podes filho do Pai? Medo é apenas algo que nada pode contra a misericórdia do Pai que te ama.  
 

Acolher a dor não significa desistir da luta que a vida trava continuamente em nós, mas é no próprio acolhimento, que encontraremos a possibilidade de confrontar a dor com o “NÃO”, esse grito da alma á própria face da dor, que sentirá o bater da porta incessantemente no seu rosto, até que parta definitivamente.


Filha, o Amor do Pai é eterno e imutável, mas nas mãos dos homens, tudo é troca e transformação entendes.


Quando percebermos a verdadeira realidade do AMOR nada mais nos resta a não ser habitar com o Pai.


Muitos tentam projectar na cruz o símbolo máximo da dor, mas é precisamente nessa cruz, que a dor voltou á origem de si mesma, e transformou-se em redenção, através do Filho de Deus.


Somos filhos de um Deus e aí a fusão da totalidade desse amor será o ENCONTRO, o resto são apenas caminhos.

Na caminhada da fé, todos ficaremos um dia suspensos sobre os precipícios dos desertos da alma, tentando encontrar nas teologias, o equilíbrio que não nos deixará cair nos abismos da noite obscura da alma.

domingo, 12 de junho de 2011

misericórdia do Pai

Na madrugada da Esperança, as almas abraçam-se eternamente, agasalhando-se na capa da misericórdia do Pai que observa o Encontro.

 
Suavemente, mas com passos firmes, todos alargaremos os nossos passos em direcção ao Pai, que acolhe e abre a alma ás novas Primaveras do espírito.

 
Ontem, hoje, amanhã, que importa o tempo, cada momento é eterno, pois já fazemos parte do espaço do Pai.

 
A montanha é íngreme e as escarpas são ásperas e deixam feridas na alma, mas as mãos do que sobe, já foram substituídas pelo crucificado, para que não seja tão difícil a tua chegada ao cume da Santidade.

Quando os escaladores sobem a montanha, sempre estão ligados uns aos outros por uma corda para que não caia um no vazio, assim são os que vivem na comunhão da Palavra, não devem esquecer a corda da unidade, seria fatal para a comunidade.

  Antes dos louvores e acolhimento, precisamos renascer de novo nas ideias e nos actos, sabes , talvez no escândalo da desunião dos irmãos esteja o atraso da nova Primavera da Igreja e do novo Pentecostes.

  Quantas cargas de areia teológica foram precisas para erguer a igreja instituição? Infelizmente estava misturada com o salitre do mar das tempestades das filosofias humanas, e agora sentimos os muros dela a ruir, precisamos de acolher novos arquitectos da graça e da esperança.

Pai em tuas mãos entrego a todos e cuida deles. Só Tu sabes.....